23 abril 2015

Quadrilha toma dinheiro de familiares de pacientes de UTI's em Imperatriz

A denúncia foi formulada pelo bioquímico Magno Borba,  presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Saúde do Maranhão, que tem sede em Imperatriz.

De acordo com Magno Borba, pessoas inescrupulosas estão infiltrando-se no horário das visitas em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da cidade e conversando com familiares de pacientes. Eles dizem que trabalham no local e pedem número de telefone para ajudarem no caso de precisarem de alguma coisa. Em seguida, mais precisamente no dia seguinte, os criminosos ligam para os familiares do paciente dizendo que ele precisa fazer algum tipo de intervenção urgente, como ressonância, tomografia e outros procedimentos, e para que isso possa ocorrer é preciso que seja depositada uma certa quantia em dinheiro. Sensibilizada, a pessoa deposita.
“Essa situação não é verdadeira. Os hospitais estão orientados a reunir-se com todos os familiares antes da visita e nenhum hospital pede para fazer qualquer exame, principalmente os que são pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ou convênio. Quanto aos outros pacientes, os familiares são chamados diretamente à secretaria do hospital quando é necessário fazer algum procedimento.


Magno Borba pediu à população que fique alerta, porque esses criminosos estão aproveitando-se de um momento em que pessoas estão com uma pessoa da família em estado grave e estão extorquindo em nome das instituições de saúde. Esse tipo de crime já aconteceu em três hospitais da cidade e foi denunciado na Polícia Civil, cujo delegado do 1º DP vai abrir inquérito para investigá-lo e colocar os acusados atrás das grades.


O assessor jurídico do Sindicato dos Estabelecimentos de Saúde do Maranhão, advogado Edmar Nabarro, disse que o primeiro passo para desarticular a quadrilha já foi dado, a comunicação feita à Polícia Civil.


Segundo Nabarro, essa quadrilha é bem estruturada, formada por pessoas que têm boa conversa e entendem do assunto, porque falam sobre exames médicos, sobre procedimentos hospitalares sem desembaraço. “São criminosos com um nível cultural razoável para estar conseguindo praticar esse tipo de crime. Então, é importante que tenhamos essa parceria com a polícia para que nos próximos dias essa quadrilha seja desarticulada”, finalizou o Dr. Nabarro.


O progresso
Postar um comentário