05 fevereiro 2016

Nova pedalada...

O Estadão publica hoje que, em 2014, para ter dinheiro e simular o pagamento das pedaladas, na tentativa de anular o argumento do impeachment, a governanta pedalou mais uma vez, encobrindo uma ilegalidade com outra.

Diz o artigo que o Banco Central emprestou dinheiro para o Tesouro Nacional, o que é proibido por lei no Brasil, tanto pela Lei de Responsabilidade Fiscal quanto pela Constituição. Sem esse repasse, não seria possível quitar as pedaladas.

Aquela "reserva do BC" que eles usaram, chama-se Colchão de liquidez e serve para pagar aquelas despesas imprevisíveis que surgem: catástrofes climáticas, hecatombes financeiras por agentes externos, queda de meteoro, bomba atômica e coisas maiores que isso.

Pois usaram para pagar a padaria, o açougue e outras contas previsíveis, o que é ILEGAL.
Pra dificultar a descoberta, fizeram sucessivas transferências entre rubricas, desviando pouco a pouco o que precisavam (50 bilhões de reus). O pacote de lambanças foi composto de duas medidas provisórias e quatro portarias interministeriais, mas os auditores especialistas acharam a fuzarca toda.
Postar um comentário