.

.

26 dezembro 2016

Bancada evangélica entre a "Cruz e a Espada"


Reunião da bancada com lideres evangelicos, pastores e presidente das AD de Imperatriz. 
Como o blog já havia antecipado, os "princípios" que reafirmam o Cristianismo podem influenciar o voto da bancada evangélica na eleição da câmara, o que os coloca entre a cruz e a espada, lei utilizada na "santa inquisição", segundo a história, para que fizesse com que os não cristãos se convertessem. 

 Ocorre que, mesmo tendo decidido por um dos candidatos que concorrem a presidência, pelo menos 2 dos 4 evangélicos que fazem parte bancada, teriam manifestado dificuldades e aversão por um dos candidatos por causa da opinião da igreja, foi o que informou um assessor.

A informação também foi confirmada por um pastor da Assembléia de Deus que antecipou  existir uma indicação para que os parlamentares da bancada sigam seus princípios na hora de votar. Os motivos não foram citados, mas basta realizar uma breve pesquisa na internet para constatar alguns temas que fariam os evangélicos mudar o voto, como a maçonaria, por exemplo.No entanto, maçons tem ocupado cargos em várias igrejas no Brasil, como na Batista.  Outros questionamentos se dão entre as ceitas, umbanda e o ateísmo, entretanto, a coligação do PROS, formada apenas por evangélicos, apoiaram partidos declaradamente ateus. 

A eleição da câmara é tema recorrente e segue liderando todos os debates políticos, e agora, envolvem também princípios bíblicos e reafirmação de ideologias, entre elas a Cristã e anti-cristã, mais conhecida como Ateísmo.

A decisão da bancada certamente pode abrir questionamentos e até quebrar paradigmas, ou não, dependendo de como vai votar a bacada. Maura Barro, irmã Telma e Ricardo são os vereadores tem obtiveram mais votos do seguimento evangélico. 

Quem diria...


Postar um comentário