09 fevereiro 2017

Projeto cria bonificação no ENEN para estudantes Maranhenses

OPINIÃO_
O Deputado Estadual e Professor Marco Aurelio vem defendendo as bandeiras da educação em todo o Estado e mais uma vez acerta ao defender uma demanda reprimida dos estudantes regressos do ensino médio ou não, mas maranhenses, que pleiteiam ingressar em cursos superior, como medicina.  Como na maioria dos alunos também são de outros Estados, muita vezes na metade ou menos do curso já conseguem transferência para seu Estado de origem, o Maranhão servindo apenas como trampolim para o curso, assim, tanto as salas de aula esvaziam como também é dificultado a vaga de um aluno da região em que a possibilidade de exercer a atividade profissional no Maranhão também seria maior. A intenção do deputado é uma medica correta e deve ser aplaudida pela sociedade e estudantes.
Veja a matéria da assessoria abaixo:

Marco Aurélio cria frente parlamentar em defesa da bonificação no ENEM para estudantes maranhenses


Mais uma vez, o deputado estadual Professor Marco Aurélio (PCdoB) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão para destacar a luta em defesa da bonificação nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM, para os alunos oriundos de escolas maranhenses no ingresso dos principais cursos da Universidade Federal do Maranhão. Segundo o parlamentar, grande parte dos principais cursos da UFMA, como Medicina, acabam sendo ocupados por estudantes de outros estados, que, ao final do curso, retornam para seus estados de origem e desfalcam os campos profissionais maranhenses.
A busca por esse instrumento de justiça social teve início ainda em 2015, quando com o então reitor, Prof. Natalino Salgado, foram discutidas formas de implementar o sistema de bonificação, dando mais oportunidades para os alunos do Maranhão, como já ocorre nas Universidades Federais do Pará, na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, na Universidade Federal do Pernambuco, entre outras.
"O objetivo principal de um curso de medicina é de fato modificar a realidade da Saúde naquela região em que ele está instalado. Mas no curso de Medicina, seja na UFMA de Imperatriz, em Chapadinha, Pinheiro, ou mesmo em São Luís, muitos dos estudantes do nosso Estado acabam ficando de fora”, lamentou o parlamentar.  
Ele destacou o fato de o estudante de fora deixar o estado assim que formado. “O problema ocorre porque, muitas vezes, os estudantes de outras regiões do país, na primeira oportunidade, evadem do curso, transferindo para suas regiões, deixando a vaga ociosa. Mais ainda, com grande possibilidade daqueles que se formarem, não fixarem residência na região em que são ofertados os cursos de medicina da UFMA, deixando o Maranhão e diminuindo nossa mão de obra qualificada", disse o deputado ressaltando que não se trata de ferir o Princípio da Isonomia e nem também nos subestimar como povo, mas de defender, acima de tudo, o direito dos estudantes oriundos de escolas maranhenses de entrarem na Universidade Federal.
A bonificação consiste no acrescimento de 20% no total da nota do aluno oriundo de escola do estado, aumentando assim suas chances diante dos alunos de outros estados. Após reunião com a reitora Nair Portela, ainda em 2016, foram repassados todos os detalhes e a mesma se comprometeu a estudar a viabilidade jurídica e estudar critérios para que a bonificação passasse a valer nos próximos exames.
Hoje (08), o deputado Marco Aurélio deu entrada em um Requerimento para a criação da frente parlamentar em Defesa da Bonificação nas Notas do ENEM para a Universidade Federal, para contribuir diretamente com os estudantes oriundos de escolas maranhenses. "Essa frente vai atuar diretamente junto à Universidade Federal, junto à sociedade. Vamos buscar reforços sobretudo nos municípios que têm os cursos de Medicina, seja aqui na capital ou também no continente, porque conheço de perto essa realidade de Imperatriz”, garantiu o parlamentar.
A frente parlamentar foi aprovada, com o apoio de diversos parlamentares e terá o deputado Marco Aurélio como presidente. O próximo passo é estreitar o diálogo com a Universidade e definir os critérios para que essa medida seja aprovada.
Postar um comentário