19 fevereiro 2019

Secretário diz que prefeito de Davinopolis ocupa cargo de forma irregular

Além do senso comum, a população e agora a vacância natural do cargo de prefeito de Davinópolis, aliados, como o caso do vereador Jolimar Hilarino, que é vereador pelo quarto mandato e ocupa a secretaria de saúde do município, entende que o fato do presidente da câmara, o vereador Coquinho, estar ocupando o cargo de prefeito após o término do prazo dado pela justiça, é ilegal. Jolimar manifestou sua opinião ao publicar em rede social o conteúdo no qual o blog posta logo abaixo da lide.

A câmara de vereadores manifestou recentemente pela não cassação do prefeito preso Rubem Firmo, mesmo tendo toda autonomia para livrar o município da vergonha ora apresentada em sua história, onde, todos os fatos e a própria prisão do prefeito, mostram que o vice, há época, foi beneficiado pela morte do prefeito, vindo a assumir o cargo e sendo, após investigação da Polícia Civil, descoberto a participação do mesmo.

Agora leia a bomba publicada pelo secretário do governo e também vereador Jolimar, este, com extrema legitimidade para tal, diz que Coquinho agora se aproveita do cargo;

Como vereador eleito por quatro vezes em DAVINÓPOLIS, mesmo licenciado do cargo não posso deixar de opinar sobre: a ILEGITIMIDADE DO exercício cargo de prefeito ora exercido pelo presidente da Câmara RAIMUNDO NONATO " COQUIM" 

Isso a partir do dia primeiro de fevereiro de 2019, tudo isso se deve ao fato de que o prefeito afastado Rubem FIRMO, em face de sua prisão ocorrida em 31 de dezembro de 2018, por determinação judicial ficou afastado judicialmente do exercício do cargo de prefeito até o dia 31 de janeiro de 2019.

Tendo em vista que a prisão temporária foi convertida em prisão preventiva, e a justiça não se manifestou quanto a prorrogação do afastamento do mandato por tempo indeterminado ; tendo a Câmara Municipal de Davinópolis rejeitado as denúncias de cassação do mandato do PREFEITO afastado e, rejeitado o pedido de licença feito por este por um prazo de seis meses. 

Em razão disso entendo : a ILEGITIMIDADE do atual presidente da Câmara para está no exercício de mandato de prefeito, cabendo agora um posicionamento da justiça eleitoral, ou do estado do Maranhão decretar uma intervenção no município. 
Atenciosamente Julimar Hilarino .

Nenhum comentário: