01 março 2020

Imperatriz necessita urgentemente de um bom gestor para poder avançar, diz vereador

Sidney Rodrigues – ASSIMP

Foto – Fábio Barbosa

Nesta quinta após o retorno do recesso de carnaval o presidente do parlamento mirim, José Carlos Soares (Patriota) afirmou em plenário que nunca antes na história de Imperatriz um gestor recebeu tanto dinheiro quanto a atual. Uma grande prova que a cidade é rica, e que se houvesse um planejamento, estratégia e organização, o município seria um dos 50 melhores do Brasil para se morar, mas infelizmente falta estrutura, gestão e pessoas com interesse de transformar ela na grande metrópole que deveria ser.
citou cidades menores no interior de Pernambuco, onde Prefeituras fazem 128 mil atendimentos mensais, atendem 30 outros nos seus entornos com muito menos recursos do que se recebe aqui.

“O atual gestor comete erros gravíssimos que são as inversões de prioridades, como essa de colocar internet aberta em vários locais da cidade por um contrato de R$ 5 milhões, um monitoramento para vigiar e multar as pessoas, por R$ 3 milhões e meio, enquanto faltam remédios nos postos e a saúde não funciona. Isso é brincar com o povo de Imperatriz. Todo mundo tem um plano de internet em seus celulares. Precisa o município gastar R$ 5 milhões com internet em rotatória, em cemitério. O prefeito busca reverter a situação terrível que se encontra e continuar no comando da prefeitura, depois de passar 3 anos massacrando o povo, perseguindo os servidores, batendo na imprensa, pisando na sociedade e agora faltando poucos meses para o fim de mandato, acha que vai apagar tudo que fez e deixar o povo nessa agonia por mais 4 anos. Quem mais depende da prefeitura, do poder público são os mais humildes”.

O presidente afirmou que a insensibilidade é tamanha que agora fizeram um carnaval maquiado com quase R$ 2 milhões de reais, enquanto por trás aumentava o coletivo para fazer os pobres sofrerem e que deveria existir isonomia em quem governa para com os que não gostam ou buscam fugir do carnaval (evangélicos e católicos), que penaram sem apoio para fazerem seus retiros espirituais e encontros.

“Achei um absurdo o gasto com o carnaval, principalmente pelos desmandos, pois a cidade está cheia de buracos, bairros estão acabados, postos de saúde sem remédio, socorrão sem atendimento, uma situação de calamidade e não é por falta de dinheiro, e sim de gestão, de compromisso com as comunidades. Falta saúde, educação, estrutura e falta boa vontade de um bom gestor para mostrar como essa cidade pode avançar com um prefeito que trate bem sua gente trabalhadora”, finalizou.

Nenhum comentário: