27 janeiro 2014

Ministério da Saúde tem 96 milhões para gastar em 2014. Quem não vai querer contratar a mulher do ministro?

Arthur Chioro, cotado para assumir o ministério da Saúde, é dono de 98% das ações da Consaúde - Consultoria, Auditoria de Planejamento Ltda., desde 1997. A empresa presta serviços para a prefeitura de São Bernardo do Campo, onde ele é secretário da Saúde. E para outras prefeituras do PT. Por isso, está sendo investigado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo por crime de improbidade administrativa. Clique aqui para ler. 

Ao ser descoberto, Chioro transferiu as suas cotas na empresa para a esposa. E deu o caso por resolvido. Não está. É inadmissível que um ministro que vai comandar um orçamento de R$ 96 bilhões em 2014 transforme a esposa em "laranja" de uma empresa que possui há 17 anos. Quem garante que Madame Chioro não fechará vultosos e lucrativos negócios por ser esposa do ministro da Saúde?  A mulher de César não basta ser honesta. Deve parecer honesta. Além disso, nomear um ministro da Saúde que está sendo processado por improbidade administrativa é mais do que falta de ética. É um claro sinal de conluio amigável com a desonestidade.

Coturno Noturno
Postar um comentário