19 fevereiro 2014

Defesa Civil se mantém em alerta caso haja enchente

Técnicos realizaram cadastramento das famílias residentes em área de risco e trabalham no monitoramento.
                                                                                                          Domingos Cezar

            Antes das pesadas chuvas que caíram no último final de semana em Imperatriz e toda região, o nível das águas do rio Tocantins variavam entre 2,50 a 3,00m acima do nível normal, considerado pelos ribeirinhos, pescadores e pela Superintendência Municipal de Defesa Civil, como muito baixo em relação aos anos anteriores.

            Na semana passada, em matéria sobre a situação da Hidrelétrica Serra da Mesa, reportagem da Rede Globo mostrava que, em função das poucas chuvas que caíam no estado de Goiás e norte do Tocantins, o reservatório da citada hidrelétrica contava apenas com 30% de sua capacidade normal, colocando em risco o sistema energético nacional.
            Com a mudança do clima e a metereologia anunciar chuvas na região das cabeceiras do rio Tocantins, a Prefeitura de Imperatriz, por intermédio da Superintendência Municipal de Defesa Civil, entrou em estado de alerta caso as chuvas perdurem, porque partindo desse pressuposto há o risco de uma temida enchente.

            “Evidente que em função do baixo nível do reservatório de Serra da Mesa, da qual dependem os reservatórios das hidrelétricas de Estreito (MA) e Tucuruí (PA), pode ser que não haja uma enchente imediata”, afirma o superintendente municipal de Defesa Civil, Francisco das Chagas Silva, o Chico do Planalto.

            Ele observa, entretanto, que mesmo assim a Defesa Civil encontra-se de prontidão para enfrentar uma enchente que porventura possa acontecer. “As mudanças climáticas que vem sendo observadas ultimamente não dão para assegurar se teremos ou não uma enchente de pequena ou grande proporção, por isso, o melhor mesmo é nos prevenir”, afirma Chico do Planalto.


            Para tanto, a Defesa Civil já fez o cadastramento de 470 famílias que moram em áreas de risco, nos bairros Curtume, Beira Rio, Caema e Leandra, bem como nas proximidades dos riachos que cortam a cidade. O órgão, de acordo com o coordenador, já mantém alguns caminhões que estão de prontidão para transportar as mudanças das pessoas que porventura forem atingidas pelas enchentes.

            Chico do Planalto informou também, que uma equipe da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra), por determinação do prefeito Sebastião Madeira, já está realizando o trabalho de roço e limpeza dos barracões da Exposição Feira Agropecuária, para servir de alojamentos aos desabrigados. “Para isso contamos com a parceria do Sindicato Rural de Imperatriz”, observa o superintendente.


            Com apoio do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre – DNIT, a Defesa Civil do Município realiza o trabalho de corte de árvores que caíram no canteiro central da rodovia BR-010, notadamente uma árvore situada próxima ao viaduto, que estava causando dificuldade no trânsito naquele perímetro urbano. “A cidade caminha agora pra uma normalidade”, conclui Chico do Planalto.
Postar um comentário