16 maio 2014

Presos em Porto Franco 2 suspeitos de integrar quadrilha de assaltantes

por Marcial Lima

A Polícia Civil de Porto Franco, em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara de Porto Franco, prendeu na manhã de terça-feira (13) dois homens suspeitos de participarem de uma quadrilha de assaltantes que atuava no interior do Maranhão. Segundo informações da polícia, a ação comandada pelo delegado Antônio Luis Gomes Pereira, de Porto Franco, prendeu inicialmente Francimar Moraes Guilherme, o Negão do Mototáxi, que foi abordado no posto onde trabalhava como mototaxista, na Avenida Castelo Branco. Logo depois foi preso em Zé Doca um homem conhecido como Vando Taxista. Com eles foram apreendidos coletes à prova de balas e um fuzil 762. Negão do Mototáxi já tem passagem pela polícia por roubo e porte ilegal de arma de fogo.

As investigações que culminaram com a prisão da dupla começaram no dia 20 de março, após um assalto a um carro-forte em Sumaúma, Região Tocantina. O Grupo Tático Aéreo (GTA) e Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) prenderam José Carlos de Barbosa Lacerda, que era foragido do Pará, onde tem 60 anos de prisão para cumprir por homicídio e roubo.

José Carlos já morou por alguns meses em Santa Inês, onde dava apoio logístico e guardava os armamentos utilizados nos crimes. Ele informou para a polícia a participação de Negão do Mototáxi no crime. De acordo com o delegado Valter Costa, da regional de Santa Inês, Negão do Mototáxi também é suspeito de participar de assaltos nos municípios de Imperatriz, Porto Franco, Amarante, Zé Doca e Santa Inês.

Francimar Moraes também está sendo investigado pela provável participação em uma quadrilha altamente perigosa, que foi presa em março deste ano, em Santa Inês. Um trabalho realizado pelos investigadores da 7ª Delegacia Regional de Santa Inês, sob a coordenação do delegado Valter Costa, terminou com a prisão de nove pessoas acusadas de envolvimento em assaltos e explosão de caixas eletrônicos na região.

O grupo é apontado como responsável pelas ações criminosas nas cidades de Pio XII, nas quais foram explodidos dois caixas eletrônicos do Banco do Brasil, e também nos municípios de Amapá do Maranhão e Bom Jardim, além de assalto em uma fazenda de Bom Jardim.
Postar um comentário