11 dezembro 2015

Hospital Municipal recebe novos Arcos Cirúrgicos para realização de cirurgias de alta complexidade

Modernos, os equipamentos proporcionam agilidade às cirurgias que necessitam de acompanhamento por imagem em tempo real
Adquiridos pela Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS) os arcos auxiliam na realização das cirurgias neurológicas, ortopédicas, urológicas e vasculares. Segundo Felipe Hanns, coordenador do Bloco Cirúrgico do Hospital Municipal de Imperatriz (HMI), os aparelhos representam um grande avanço, pois são equipamentos que possibilitam produção de imagens digitais simultâneas que agilizam o serviço do Médico Cirurgião que necessita deste recurso para conclusão de determinadas cirurgias.
 “Com estes aparelhos nós daremos resolutividade aos problemas de demanda reprimida em cirurgias eletivas de responsabilidade do nosso município e resolveremos casos de cirurgias mais complexas que antes eram encaminhadas para outros centros via TFD (Programa de Tratamento Fora do Domicílio)”, explica Felipe ao exemplificar que cirurgias como Percutânea da área de Urologia e Colo de Fêmur, Clavícula e Ombro da área de Ortopedia já estão sendo realizadas com o auxílio dos arcos.
 Outro grande avanço para o Hospital com a chegada destes arcos, segundo relata a secretária de Saúde, Conceição Madeira, é que os aparelhos possibilitam aumento no número de cirurgias realizadas diariamente, tendo em vista que se diminui o tempo gasto em cada procedimento.
 “Toda vez que adquirimos um novo equipamento ou aparelho para nossos dispositivos da Rede Pública Municipal de Saúde estamos visando a melhoria no funcionamento dos nossos serviços e com estes arcos, não foi diferente, fizemos a aquisição para potencializar a capacidade de realização de cirurgias, aumentando assim o número de pessoas atendidas e proporcionando mais qualidade de vida aos usuários do SUS, que é nosso objetivo principal”, observa a secretária.
 Sobre os arcos, vale frisar que eles são usualmente utilizados em cirurgias em geral, urologia, ortopedia, vasculares, implantes de marca passos entre outros procedimentos. “Sem os mesmo, o processo para realização de algumas cirurgias seria bem mais demorado, pois seria feito em etapas que aumentaria o tempo de cirurgia em no mínimo um hora”, informa Felipe Hanns. 
[Maria Almeida – ASCOM]
Postar um comentário