30 dezembro 2016

Eleição da câmara uniu novos e antigos vereadores. Então agora são todos iguais.



Como no livro “A revolução dos Bichos”, de George Orwell, parte da renovação da câmara, eleitos em outubro, esqueceram que essa tendência (de renovação) que os levaram a eleição vitoriosa, foram repugnância a velha classe política e os métodos utilizados para se perpetuarem no poder. A chapa do atual presidente (que será a unica) ainda conseguiu unir em sua chapa os interesses mais inusitados (que nem o mais pragmático apostaria), como o apoio do vereador petista, Aurélio (que ainda pousou para foto) e do comunista Carlos Hermes, figuras que sempre foram motivos de 'chacotas" nas sessões, pelo parlamentar.

No livro de Orwell, os porcos se misturavam com os outros bichos e esquecem a luta que resultou na revolução, citada no livro, e a expulsão do homem ‘proprietário da fazenda', a partir do discurso de Napoleão e garganta (os dois porcos do enredo) e personagens principais do livro (e da revolução).

A eleição da câmara chega aos seus minutos finais, mas deixa evidente que apesar da autonomia do voto ser exclusiva dos 21 vereadores, a população acredita que seria necessária uma “renovação” na presidência na câmara, assim, refletiria a tendência que existe na política local, nacional e internacional.

Nesse sentido o advogado Fábio Hernandes (PSC) conseguiu agremiar uma parte dos parlamentares que acreditam na tese de que a população almeja um cenário novo, de novas expectativas.

As manifestações e torcidas expressas nas redes sociais, nos grupos de noticias e em toda parte em que Fábio se encontrava, ficou evidente o desejo de mudança. Entretanto, as interferências que insistem na permanência de antigas personagens uniram, como no livro, os novos e velhos, e agora se tornaram uma coisa só.


A eleição da câmara deixou claro para a cidade a renovação de personagens, mas que seguirão os mesmos caminhos de antigamente.
Postar um comentário