.

.

08 dezembro 2016

Hamilton Miranda é só mais um ex-presidente complicado no TCE.

A fila é grande e histórica, a cadeira da presidência da câmara de vereadores de Imperatriz, assim como outras tantas nos grotões do Maranhão, carrega a síndrome da presidência, ou simplesmente, um retorno à realidade; - Todos os ex-presidente da Câmara de vereadores estão inelegíveis, com prestação de contas desaprovadas.

Ao ocupar a presidência da câmara os vereadores parecem debruçar a uma espécie de poder intangível e difícil de retornar a cadeira dos comuns.

 Hamilton Miranda, por exemplo, até hoje não consegue sentar e participar de uma sessão da câmara, desde quando perdeu a presidência, por consenso, para o atual presidente.

A fila além de ser grande ela não para. A cada ano as analises do Tribunal de Contas do Estado assusta um ex-presidente. Mesmo os que escolhem um Deputado bem próximo do Tribunal para apoiar. Também ocorreu com HM.  O Tribunal, porém, demorou exatos 6 anos para julgar as contas de 2010, mas enfim, é a reafirmação do ditado: “A justiça tarde mas não falha.” Para quem assistiu a evolução do império e agora a dissolução, o ditado, porém, seria: “Antes tarde do que nunca”

HM fez carreira política. Elegeu e se reelegeu. Consolidou-se e agora deve encerrar a carreira. “Guardar a viola”. Ou como dizia Paulo, o apóstolo: “Guardará a fé”.

E a fila segue. - Quem será o próximo?



Postar um comentário