06 setembro 2017

A frente da Fundação Cultural, Buzuca enfrenta ciúmes, mas mostra diferença contemplando vários estilos musicais na programação de veraneio

É brega. É samba. É reggae. É rock. É sertanejo. É hip-hop. Desde que assumiu a presidência da Fundação Cultural de Imperatriz, José Carneiro Santos, popularmente conhecido como Buzuca, empreendeu na pasta algo primordial para a gestão da cultura local: a diversidade dos estilos. Natural de Itaguatins/TO, Buzuca chegou a Imperatriz há mais de 30 anos e vivencia a comunidade do bairro Santa Inês desde então. Ligado aos movimentos mais populares e dos guetos, o atual presidente da Fundação Cultural, com seu jeito discreto, vai aos poucos mostrando um trabalho que possa atingir vários segmentos.

Talvez por sua forma tímida de ser e conhecido mais no esporte, tendo o trunfo de levar o Cavalo de Aço ao título de campeão maranhense, muitos não sabem, mas Buzuca sempre colaborou com grupos juninos, blocos carnavalescos e até mesmo com a já falecida Dona Francisca do Lindô.

Sua chegada na Fundação culminou com a programação das atrações artísticas no stande da prefeitura na Expoimp. Por lá, artistas do MPB ao forró pé-de-serra foram contemplados. Mas, é no período veraneio que Buzuca conseguiu emplacar juntamente com sua equipe vários estilos e grupos musicais até então despercebidos pelos olhos da gestão musical. Afinal, quem não lembra do triste episódio que artistas foram na Fundação Cultural protestar por não terem sido escalados no carnaval desse ano?

Não se sabe ao certo o que o prefeito Assis pensou quando escolheu Buzuca para assumir a tão disputada pasta da Fundação. Alguns dos seus colegas de prefeitura ainda hoje engolem seco sua escolha. Muitos artistas vanguarda local, não botaram fé, todavia, estão dando com os burros n'água. Já a turma mais nova, estão apostando suas fichas, o que aumenta ainda mais sua responsabilidade. 

Estrategista e conciliador, Buzuca não bateu de frente e preferiu procurar artistas e grupos que também pudessem contribuir com a cultura local. Trânsito livre no Governo do Estado do Maranhão, com quem goza de prestigio com o deputado Marco Aurélio e do secretário Clayton Noleto, foi oferecido a estrutura para as atrações culturais dos Jogos de Verão que representasse o samba, o reggae, o forró pé-de-serra e música eletrônica. A parceria com o Governo do Estado se estendeu também a Praia do Cacau e a Praia do Meio, que inicia hoje, quarta-feira, dia 06, com encontro dos sambistas de Imperatriz. Um fato inédito para o estilo, ainda mais dentro da programação da Fundação. 

Outros estilos musicais como o hip-hop, rap e os DJs de reggae, também ganharam espaço na programação da Praia do Meio. Se aos domingos o estilo da swingueira é marcante na Praia do Cacau, além do apoio as serestas nas quintas a noite organizada pela Associação dos Barraqueiros, o pop rock também voltou com força total com o retorno do Festival Cacau Pop Rock, somente com bandas locais.

Mas nem tudo são flores para Buzuca, que vem enfrentando algumas dificuldades na gestão, e chegou a confessar que apesar de ter uma boa equipe, ainda não conseguiu oferecer a estrutura suficiente para que eles possam trabalhar melhor. A turma por lá anda trabalhando mais do que as seis horas corridas que Assis determinou para todas as secretarias. Outro obstáculo, é a falta de divulgação das ações da Fundação, confidenciou.


Porém, com seu jeito apaziguador, Buzuca vem furando barreiras e ganhando prestigio. O exemplo mais prático, é ampliação que deu ao projeto Abrindo Mercado, que deixou o centro da cidade e começou a circular nos bairros, como na feira do Bonsucesso e agora no Bacuri, sempre com atrações artísticas que navegam com todos os ritmos e até participação literária, como aconteceu no último domingo, com a poetisa Lilia Diniz.

Depois dessa temporada de veraneio, seu grande desafio vai ser agregar outros segmentos da cultura, como a literatura, teatro, dança etc., através do fundo municipal de cultura. 

Agora o presidente da Fundação Cultural terá que ter o apoio e confiança do prefeito e dos demais secretários para executar projetos que mantenham a fundação ativa e com grandes expectativas como vem ocorrendo.

Isso tudo depende exclusivamente do prefeito Assis Ramos e pelo conhecimento e experiencia que o mesmo tem demonstrado, é possível que a fundação ainda tenha grandes projetos para apresentar. 

Seja bem vindo, Buzuca!
Postar um comentário