06 maio 2019

Eles não aguentam o preço, depois virá a consequência da atitude populista e inconsequente...


Quem conhece transporte sabe, mas exatamente por isso que o sistema não pode ser controlado por qualquer um. A cidade de Imperatriz teve nos últimos anos um que não sabia de nada, durante 8 anos um Cabo da PM, que não quer dizer que sabe alguma coisa de transito, e agora um policial Civil. Enquanto acharem que o sistema deve ser cabide vai continuar assim. Sem efetividade, sem foco e com ações paliativas ou eleitoreiras, a ultima, a consequência negativa sempre virá. 

Primeira reclamação iniciou em São Paulo com a paralização do aeroporto de Guarulhos, Rio, Ceará e Bahia, agora segue as demais cidades, mas todas grandes centros. Imperatriz não suporta a desordem ou quantidade ilimitada de motoristas por aplicativos, porém, o período é pré-eleitoral, os políticos, portanto, pouco ou nada se importam se as organizações sejam americanas ou chinesas e se os impostos fiquem por lá, ou se os trabalhadores são meros escravos com jornadas de trabalho acima de 8 horas e sem direitos.

Segue o barco, o resultado não tem como ser outro...

Deixo para reflexão um artigo de um companheiro de São Paulo que publicou logo após a onda de reclamações dos funcionários maus pagos da Uber. Segue:

Eu não ia me pronunciar sobre essas manifestações dos motoristas de aplicativos.
Mas como eu vivi como poucos a entrada da Uber no Brasil em 2014. Vivi a entrada da Uber em Curitiba em 2016. Sentir cada comentário nas redes sociais que pareciam uma facada cortando meu estômago e minha alma...

Sinto que tenho todo direito de falar.

Afinal o Uber não era vida? 
Afinal o taxi não era caro? 
Afinal o táxi era ladrão porque tinha bandeirada inicial?  
Afinal o táxi era ladrão porque tinha taxa de retorno fora do município?
Afinal quando havia alguma emergência juntava vários taxistas por uma questão de segurança,  éramos chamado de máfia e de violentos? 
Afinal no período noturno temos um acréscimo no nosso valor como ajuste de periculosidade ( famosa B2) e éramos considerados ladrões?
Afinal agora todas as corridas dos aplicativos vocês querem ver o destino para escolher as corridas, e o taxista que era folgado?
Afinal nas saídas de shows vocês desligam o aplicativo para forçar uma dinâmica artificial e levar os passageiros em corridas mais caras que o taxi ( chamadas de tiro), e nós é que éramos ladrões?

Vocês são amadores.
Vocês foram enganados.  
Vocês foram iludidos.
Vocês são taxistas piorados.

Nós profissionais sabemos exatamente quanto custa o quilômetro rodado. 

E agora vocês querem aumentar o valor das suas corridas, diminuir taxas, etc, blá blá blá, mi mi mi ? 

O aplicativo oferece a tecnologia e o motorista aceita ou não. Simples.

Poxaaaa ... Não enche o saco. Não quer as condições. Não usa. Não atenda. Livre iniciativa. Livre concorrência. Agora vai atrapalhar a vida dos outros com manifestação?

Vcs são burros ou o que???

Hoje passageiro de aplicativo não é o mesmo passageiro do táxi. Passageiro do aplicativo é o passageiro do ônibus.

Antes a família pegava o ônibus pagava $4,50 cada um. Gastava r$ $18.  Agora a família pega um Uber E gasta r$ 6.
E digo mais. Como é carona, tem que baixar mais o valor. Peço para todos os clientes enviar e-mail para os aplicativos e pedir que o valor fique mais baixo. Afinal nem médico e nem engenheiro ganha o que os motoristas de aplicativos ganham para dar carona.
Hushuahua

Uber é vida. 99 é sonho. Cabify é D+... 
Viva a modernidade 😎

Nenhum comentário: