06 novembro 2019

PRIVATIZAÇÃO: Prefeitura vai trocar CAEMA pela Companhia Águas do Brasil

A prefeitura de Imperatriz vem abrindo caminho para a troca dos serviços de saneamento e distribuição de água na cidade através do rompimento de contrato da prefeitura, através do prefeito Assis Ramos, com a Companhia de Água, CAEMA. 

O contato com empresários do Grupo Águas do Brasil preparam para a transição, mesmo muito antes de qualquer licitação ou carta proposta, a empresa já foi contactada pelo prefeito em encontro informal ocorrido em Brasília.

Águas do Brasil é líder no setor privado de prestação de serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos no País - opera 13 concessões e atende quase seis milhões de pessoas em 15 municípios: Niterói, Rio de Janeiro (Zona Oeste), Campos, Petrópolis, Nova Friburgo, Resende, Araruama, Silva Jardim, Saquarema, Manaus, Araçoiaba, Votorantim, Jaú, Ourinhos e Paraty.

O grupo é formado por quatro grandes empresas acionistas: Developer S.A. – Grupo Carioca Engenharia, Queiroz Galvão Participações – Concessões S.A., Trana Participações e Investimentos S.A. e Construtora Cowan S.A.

Como em outras cidades onde o grupo águas do Brasil opera, o nome passa a se chamar "águas de Imperatriz" no entanto, o lobby e a responsabilidade deve mesmo ficar com a câmara de vereadores, que, mesmo com o rompimento unilateral por parte da prefeitura, a câmara concederá o verídico final. 

DESGASTE_

Apesar do desgaste da estatal CAEMA, o rompimento por parte da prefeitura deve acarretar em aumento de tarifas tanto de água quanto de esgoto, afim de enquadrar os planos da empresa em provável investimento no setor. Ainda assim, tal garantia encarece consideravelmente os serviços, portanto, ainda com falhas, o preço pago nos serviços da CAEMA ainda podem ser lembrados com saudade após algum tempo. 


Nenhum comentário: