21 fevereiro 2020

CARTA MARCADA! STAUTEC engenharia e empreendimentos estaria pronta para assumir lugar da CITILUM

A maioria dos grandes contratos da prefeitura de Imperatriz foram acertados e iniciados por empresas mesmo antes de licitar, mas um dos casos mais épicos e questionáveis se trata da concessão para operar nos serviços de iluminação pública, conhecido como um dos melhores contratos da prefeitura. 

O vereador Carlos Hermes apontou, em discurso na câmara de vereadores, que a empresa STAUTEC engenharia e empreendimentos já estaria “engatilhada para assumir” (sic), disse o parlamentar. "...parece CNPJ criado para qualquer natureza, onde se faz de tudo: Construção de estações de energia, construções de edifícios, manutenção de máquinas e uma série de elementos para serem usados de qualquer jeito", disse. Segundo uma fonte, valores teriam sido repassados pela empresa para completar o pagamento de bandas no carnaval. 

 Se confirmado, como antecipa o parlamentar, será mais um dos escândalos mais grotescos que cercam a conturbada administração do prefeito Assis Ramos.

Veja matéria completa do site oficial da câmara de vereadores. (aqui)

Carlos Hermes denuncia o rompimento do contrato da prefeitura com a Citilum

O vereador Carlos Hermes (PCdoB) no uso da Tribuna nesta quarta (12), afirmou que a gestão municipal é campeã em fabricar estados de emergência nos processos licitatórios. Faz isso à revelia da lei 8666/93, pelo prazer das conveniências, beneficiando as empresas amigas, com dispensa de licitação e que fazem jogo financeiro para se locupletaram com recursos públicos.
Apresentou um documento assinado pelo secretário municipal de infraestrutura Zigomar Filho, onde o argumento para rompimento é a quebra de procedimentos, a não obediência a comando legal estatuído (cheio de vícios) e que existe uma empresa engatilhada para assumir já na segunda feira. Se trata da empresa STAUTEC engenharia e empreendimentos e de acordo com ele, parece CNPJ criado para qualquer natureza, onde se faz de tudo: Construção de estações de energia, construções de edifícios, manutenção de máquinas e uma serie de elementos para serem usados de qualquer jeito. Era uma prestadora de serviços da CITILUM, mas já entra com dispensa de licitação e iniciando no começo da semana.

Hermes informa que a prefeitura desrespeita um parecer do Ministério Público, que negou um mandato de segurança para outra empresa (QUANTUM engenharia) que concorreu e não ganhou da CITILUM. Alegou direcionado para a empresa atual. Naquela época nada estava errado, mas agora a prefeitura rompe o contrato alegando elementos de ilegalidade. Fica claro o interesse em tirar a atual firma.
“Em ano eleitoral, mais um contrato emergencial sem que ninguém na cidade saiba das relações financeiras e políticas dessa empresa com a prefeitura, deixando a população à mercê. Está na hora de darmos um basta, fazer esse governo respeitar o povo e o erário público, não podemos aceitar calados o que estão fazendo com Imperatriz. Já denunciamos e protocolamos isso na Procuradoria de justiça, no Tribunal de Contas e no Ministério público estaduais”.
Citou também a empresa Canal que recebeu em três anos R$ 12,5 milhões e que sem ter o que fazer, fabricou 400 placas para dizer que um ponte de wi-fi é uma obra. Mais uma empresa amiga que tem fortes indícios de direcionamento de licitação e está envolvida em 60% dos recursos da campanha, enquanto pessoas estão morrendo no socorrão por falta de remédios.
“Tudo que está sendo feito em Imperatriz é com recursos federais e do estado, com as arrecadações próprias não tem nada. É um momento histórico da cidade onde ela mais recebeu recursos e nada é feito. IPTU, ISS, ICMS, ITBI.  43 milhões da saúde, 10 milhões do pré-sal, 103 milhões de precatórios do fundeb, 23 milhões do meio ambiente para construir o aterro sanitário e o prefeito manda para cá uma lei comprando uma área, onde o alqueire é 112 mil reais, sendo que o valor de mercado é 35 mil. Se não roubar o dinheiro dá, é o que ele dizia, então isso é uma admissão de culpa? Estou indignado e isso acontece por que estamos na condição de humanos e não podemos ser indiferentes a tanta coisa errada. No dia que não nos importarmos, não merecemos representar esse povo”, disse.
Hermes afirma que a prefeitura contrata empresas para substituir outras da noite para o dia, criam situações em contratos milionários de forma ilegal e tudo através de adesão de atas, estado de emergência, calamidade pública e dispensa de licitações. Não seguem os critérios e criam situações onde fica evidente a falta de lisura nas ações. Ao final pediu que a mesa diretora que faça a convocação do secretário de infraestrutura Zigomar Filho para prestar esclarecimentos.
Informou que todas as denúncias são formalizadas no MP e que o executivo é extremamente irresponsável e desonesto com a cidade de Imperatriz.

Nenhum comentário: