06 março 2013

A esquecida "Umes" pediu ajuda a JS-PDT para emitir nota de repúdio...


Atualização às 17:00hr.
Apesar da nota existir e ter sido publicada em alguns blogs, o presidente da Umes-Imperatriz já entrou em contato com o blog e repudiou a atitude de quem a fez, segundo o mesmo, será feito outra nota onde constara uma prestação de contas da entidade e, inclusive, desmentindo a nota anterior.

A entidade de defesa dos estudantes secundaristas, a UMES, publicou uma nota de repúdio em nome da entidade e, o mais incrível, junto com a JS-PDT (juventude Socialista do partido Democrático Trabalhista). Mas eu pergunto: O que tem haver as duas entidades, ou a UMES não teria condição de escrever tal nota, visto que a mesma é uma entidade independente. A nota foi publicada no dia 1 de março, veja abaixo [de vermelho]:

NOTA DE REPÚDIO

Umes, muito marketing e pouca ação
A Juventude Socialista do Partido Democrático Trabalhista do Maranhão (JSPDT/MA) e a União Municipal dos Estudantes Secundarista de Imperatriz (UMES) vêm a público manifestar o seu total repúdio contra a prestação de serviços oferecidos pela Prefeitura Municipal de Imperatriz, através da Secretaria de Trânsito (SETRAN), e pelos empresários que compõem o sistema de transporte no município. 

Primeiro, que a sociedade Imperatrizense nem se quer conhece a JS-PDT, principalmente por não representar uma entidade social, mas sim política partidária ideológica e que reaparece em tempos de eleição, e a UMES, essa que deveria estar à frente de todos os movimentos ligados aos estudantes, até então, se quer tinha mostrado a cara.
O que ocorre com o transporte publico em Imperatriz é um abuso ao direito do consumidor e ao próprio acordo, que diz que a empresa deve presta um serviço de qualidade, dentre outros. Fato!  Mas o que não é compreendido é porque a entidade, somente agora, veio manifestar repudio ao transporte publico.

prédio quando reformado, hoje está sucateado...
Justamente agora, depois de várias movimentações realizadas por um movimento denominado #Fora VBL, pela própria sociedade, pela prefeitura; através da procuradoria do município, o Ministério Publico e eis que surge do nada: A UMES. Isso mesmo, a Umes, que nem se quer conseguiu reformar o prédio da entidade, organizar-se e nem informar a qualquer membro dessa entidade as suas atividades recentes. A União Municipal dos Estudantes Secundaristas, inclusive, deveria ou teria a obrigação de ter levantado essa bandeira desde o inicio, pois a mesma é uma entidade legitimada e teoricamente organizada, apesar de não estar fazendo jus a sua história.

O que deve ocorrer neste momento é uma intervenção imediata nessa entidade, que não tem feito nada em relação a NADA. Aos Estudantes Secundaristas, deve-se abrir imediatamente a caixa preta para que a Umes, e que venha de fato representar os estudantes e não uma agremiação partidária,  e que acabou por demonstrar total dependência e nenhuma autonomia ao assinar tal manifesto, e pior, a entidade não consegue se quer reformar seu prédio, que encontra-se totalmente abandonado. 

E ainda finalizam: A JSPDT/MA, JSPDT/ITZ e a UMES de Imperatriz se posicionam contrariamente à politica de transporte promovida pela Prefeitura de Imperatriz e ao favorecimento do empresariado, à politica mesquinha e de exclusão, onde quem sai pagando caro é o cidadão imperatrizense. Nas ruas, nas avenidas e nas escolas, vamos exigir os nossos direitos. Queremos um transporte digno e de qualidade para todos. Quem sabe faz hora, não espera acontecer.

Os estudantes precisam de explicação, já que; "quem sabe faz a hora, não espera acontecer..." Será?
Postar um comentário