30 novembro 2014

Omissão de socorro no Carlos Macieira poderá levar paciente com aneurisma cerebral a morte nas próximas horas

Desde a noite de domingo, 23 de novembro de 2014, a paciente Solange Climaco dos Santos, portadora de um aneurisma cerebral gigante, luta contra a morte na ala destinada a pacientes neurológicos do hospital público Dr. Carlos Macieira, aqui em São Luis, a espera de uma cirurgia inadiável.
A paciente que é de Imperatriz veio parar em São Luis por força de uma medida liminar deferida contra o Estado do Maranhão, depois que a coordenação do TFD (Tratamento Fora de Domicílio) estadual recursou fazer sua internação na Capital, para uma cirurgia de urgência, para tentar salvá-la de um aneurisma gigante.
Laudos médicos, expedidos por neurocirurgião de Imperatriz, revelam que se Solange Climaco não for imediatamente submetida a um procedimento cirúrgico especializado, de grande complexidade, realizado no Maranhão apenas em São Luis (referência), morrerá, inevitavelmente, nas próximas horas.
O advogado Paulo Sergio, amigo da família da vítima, explicou que a decisão judicial do juízo de Imperatriz garantiu o translado seguro e eficiente para São Luis da paciente Solange Climaco, com estrutura disponibilizada pela Secretaria Municipal de Saúde de Imperatriz. “Contudo, em São Luis o Estado descumpre a decisão, conservando a paciente num leito sem, no entanto, realizar o procedimento cirúrgico recomendado ao argumento segundo o qual falta material e que a compra importaria num alto custo para o Estado. Lamento, o Governo do Estado, nesse caso, faz, nitidamente, uma opção dantesca e inaceitável: conserva a paciente até a morte mas não age para salvá-la porque isso representaria uma despesa maior para o próprio Estado. Uma escolha criminosa, que atenta não apenas contra a decisão judicial, mas, sobretudo, contra o bem mais importante, a vida”.
Paulo Sergio disse que diante da flagrante omissão de socorro, os familiares conseguiram, já em São Luis, uma segunda liminar, através da Defensoria Pública. O diretor do Hospital Carlos Macieira e o Secretário de Estado da Saúde estão sendo procurados para cumprir a decisão judicial enquanto a paciente segue internada, aflita, atravessando as suas últimas de vida.
“Não tenho dúvida. Se Solange morrer os responsáveis são a governadora, o secretário de Saúde e o Diretor do Hospital por terem se recusado a realização de um procedimento que poderia salvá-la. É revoltante. Quando estamos diante de uma situação como essa é que percebemos que somos impotentes e que mesmo a força do Estado-Juiz não é capaz de deter a irresponsabilidade daqueles que tem o dever de assistir e garantir a saúde pública para o povo. 
Esse caso é emblemático. Dezenas deles devem acontecer na saúde de faz de conta do governo do Maranhão”, desabafou o advogado Paulo Sergio da Silva, dizendo que a última chance que resta a paciente é a divulgação dos fatos pela imprensa. “Quem sabe, assim, eles tomem uma iniciativa”, disse.
Solange Climaco dos Santos é servidora pública, tem dois filhos e há 20 dias descobriu que portava um gigante aneurisma cerebral.
Postar um comentário