Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Trabalho daSERF será descentralizado em 2014. Primeira região beneficiada será o grandeSanta Rita

“A criação da Secretaria Municipal deRegularização Fundiária (SERF) representa grande conquista para o povo deImperatriz, principalmente às famílias mais carentes e humildes que moram nosassentamentos urbanos que não tinham nenhuma expectativa que um dia poderiamresolver essa demanda da propriedade, do fim da clandestinidade e da segurançajurídica”, observou o secretário Daniel Pereira de Souza que considera positivoo primeiro ano de atividade da pasta que já emitiu gratuitamente centenas detítulos de propriedades à comunidade de Imperatriz.

 


Sobre a relevância do trabalho, eleobserva que o aspecto da segurança jurídica é um dos fatores que mais preocupamos moradores que residem em assentamentos urbanos, pois vez por outra, ocidadão acaba sendo surpreendido com uma ação de despejo ou de protesto daposse do imóvel, devido à ausência do título definitivo de propriedade.
“Essa secretaria foi criada, instauradae pensada para atender essa demanda, fato que atinge 70 a 75% da população quedetém imóveis nas áreas urbana e rural há muito tempo – de 20 a 40 anos – tendosomente a posse, sem a propriedade do imóvel”, explica o secretário DanielSouza ao lembrar ainda que a ausência de documentação definitiva impede ocidadão de conseguir incentivos bancários ou econômicos que poderiam advirquando da confecção do título de propriedade.

Para ele, a “propriedade eficaz” –aquela que dispõe de documentos – é uma garantia real para o cidadão obterjunto às instituições bancárias empréstimos, financiamentos e pleitearbenefícios a serem aplicados na sua melhoria de vida, a partir de suapropriedade que a pessoa exerce na posse do imóvel.
Daniel Souza enfatiza que a SecretariaMunicipal de Regularização Fundiária é de suma importância ao cidadãoimperatrizense, pois devolve a dignidade humana ao conceder-lhe o títulodefinitivo de propriedade. “A dignidade é a liberdade, a moradia, viver comdignidade a partir do salário e das condições de vida, pois não se pode tambémdescartar como componente da própria dignidade a moradia segura, ondecompreende a posse e a propriedade do imóvel”, disse.

Em sua opinião, a moradia segura nãopode está vinculada apenas a posse do imóvel, ainda que seja muito forte,acredita que tem mais significado que a própria propriedade, porém para o mundojurídico e as formalidades que a legislação prevê é preciso que haja, segundoele, o documento do título definitivo de propriedade para gerar o registro deimóvel.

“Essa pasta assumiu esse compromisso, oqual vem enfrentando com muita luta esse sacrifício, pois existe uma carênciaem toda cidade, mas já começamos a ‘palmilhar’ pela zona rural do município deImperatriz, iniciando pelo povoado Coquelândia com a emissão de 310 documentosàs famílias, após doação ter sido feita pelo Incra”, frisa ele.
Daniel Souza revela nesta reportagem quenão apenas os assentamentos urbanos, mas também os moradores dos bairros maispróximos do centro vivenciam esse mesmo drama da ausência de documentação doimóvel, problema que afeta diretamente todos os bairros da grande Imperatriz.

Assessoriajurídica – O secretário assinalou aindaque o órgão dispõe de um departamento que oferece assessoria jurídica paraprestar a comunidade carente assistência para mediar conflitos importantes,como por exemplo, o caso dos moradores da Vila Zenira e o loteamento Alto dasBrisas. “Em resolvendo esse conflito, será um grande marco histórico paraImperatriz, os moradores e o dono do empreendimento imobiliário”, disse.

Daniel Souza reitera que o órgão possuiuma tarefa social relevante e assume o compromisso de defender os maishumildes, lutando pela garantia da posse e pela propriedade dos imóveis, assimcomo assume o compromisso de defender às pessoas que tiveram os imóveisesbulhados ou grilados. “Nós lutamos acima de tudo que essa regularização sejaperene, continue não apenas no governo do prefeito Sebastião Madeira, masnaquele que o suceder dê continuidade a essa política de regularizaçãofundiária dos imóveis de Imperatriz”, defendeu.

Ele entende que “essa é uma política degoverno, e não uma promessa de campanha, que visa resolver uma demandahistórica do município de Imperatriz”.
Descentralização– O secretário Daniel Souza observaque ainda existe uma demanda bastante acentuada no setor de protocolo daSecretaria Municipal de Regularização Fundiária, onde existem atualmente maisde 7 mil processos em andamento na SERF, com um atendimento diário que oscilaentre 80 a 120 pessoas no órgão.
Para amenizar a demanda, a alternativafoi descentralizar o atendimento levando aos bairros e povoados de Imperatriz,bem como informando às metas e regiões que serão alcançadas, neste primeiromomento, evitando o deslocamento desnecessário das famílias à SERF.

“Vamos facilitar durante a itinerância nosbairros o acesso das pessoas mais humildes à SERF, bem como a processo deregularização fundiária”, ressalta ele, que destaca o ‘plano piloto’ realizadono povoado Coquelândia com o deslocamento dos técnicos do setor de cadastro emapeamento imobiliário que durante 12 dias fizeram o levantamento das áreas queforam contempladas com o título definitivo de propriedade de imóveis.


Daniel Souza adianta que a meta para opróximo ano é iniciar o processo de regularização fundiária da região do grandeSanta Rita, compreendendo os bairros Ouro Verde e Boca da Mata. A meta écontemplar pelo menos seis mil pessoas, devendo durar pelo menos entre 40 a 60dias o levantamento técnico da área. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:40

“Pacientes de Imperatriz, sul doMaranhão e Maranhão central têm que se deslocar para o Piauí e Tocantins parabuscar tratamento do câncer”, denuncia a deputada.
A deputada estadual Valéria Macedo (PDT), utilizou a tribuna daAssembleia na última sessão ordinária de 2013 (quinta-feira, 19) para tratarsobre o Requerimento de sua autoria solicitando agilização dos governosestadual e federal através do secretário de estado da saúde Ricardo Murad e doministro da Saúde Alexandre Padilha, respectivamente, para implantação da UNACON -Unidade de Assistência em Alta Complexidade em Oncologia do hospital Municipalde Imperatriz, que deverá prestar os serviços principalmente deradioterapia, quimioterapia e cirurgia oncológica, em vista da grande demanda depacientes para o tratamento dessas especialidades na região tocantina e centrosul do estado.
“Esse é um assunto que mexe com a vida de muita gente, que mexetambém com o sentimento que nós temos de solidariedade, um sentimento até depesar das pessoas portadoras de câncer do Estado do Maranhão, dos seusparentes, dos seus familiares e dos seus conhecidos. No dia 4 de dezembro, eu,na qualidade de presidente da Comissão de Saúde e os membros, colegas AndréFufuca, Vianey Bringel e Francisca Primo, realizamos uma audiência pública daComissão de Saúde em Imperatriz e pudemos checar in loco a necessidade doprojeto que está em andamento aqui na Comissão Intergestora Bipartite no Estadodo Maranhão”, disse Valéria.
Segundo a parlamentar pedetista a Comissão viu as instalaçõeshoje existentes em Imperatriz no hospital municipal, as instalações em leitos eaparelhos para realizar quimioterapia e a estrutura para realizar o serviço deradioterapia que só em São Luís, no Hospital Aldenora Belo, está pronta parafuncionar, inclusive já funciona esse serviço de radioterapia conveniado pelatabela SUS e até particular para outros, mas que é conveniado ao hospital municipalde Imperatriz para atender a demanda da Região Tocantina.
“Hoje, para se ter uma idéia, nós temos uma fila de espera emSão Luís de 285 pacientes para iniciar o tratamento de radioterapia. É uma filagrande para quem depende de um dia para iniciar um tratamento, para agilizar acura, e esse um dia faz a diferença na vida desses pacientes”, informou Valériaacrescentado que existe  em Imperatriz um serviço que está montado epronto para dar assistência a todos esses pacientes de todo o estado do Maranhão,principalmente do Maranhão Central da Região Tocantina que tem que procurar oestado do Piauí, o estado do Tocantins”, disse.
Em tom emocionado Valéria disse que os pacientes têm que viajara esses dois estados mais próximos “para mendigar um leito para se submeteremao tratamento do câncer”.  “Nós sabemos que essa é uma doençadevastadora e que mata rápido qualquer pessoa. Se nós tivéssemos um paciente,um parente doente de câncer, nós quereríamos o mais rápido possível iniciar otratamento. Infelizmente nós temos essa fila e temos já a Região Tocantinapronta para funcionar o serviço de radioterapia”, apela.
Ao final de seu discurso Valéria se dirigiu ao presidente dacasa, deputado Arnaldo Melo, fazendo um apelo para a influencia que este têmjunto ao governo estadual, para que este, em nome de todos os deputados, peçaagilidade, para que o secretário Ricardo Murad envie o mais rápido possívelesse processo ao Ministério da Saúde que já tem conhecimento deste, a fim deagiliza a implantação do serviço de radioterapia, quimioterapia e ampliação dacirurgia oncológica na Região Tocantina e Região Central de forma a atender astrês macrorregiões: Presidente Dutra, Imperatriz e Balsas, que é uma regiãogrande e vai atender um número de mais de 100 mil pessoas.
“A Lei, a de nº 12.732, diz que os pacientes que têm câncerdevem iniciar o tratamento em no mínimo 60 dias. Infelizmente, como aqui em SãoLuís nós temos o serviço de radioterapia apenas no Aldenora Bello, isso éimpossível pois  temos essa fila. Temos em Imperatriz o serviço dequimioterapia e já há uma fila para isso como de cirurgias oncológicas, a filaé grande e nós sabemos que cada dia custa muito para a vida dessas pessoas”,concluiu Valéria, agradecendo a todos os deputados que assinaram o requerimentopara que seja viabilizado o mais rápido possível esse processo, para aimplantação dos serviços de radioterapia, cuja carência está custando a vida demuitos maranhenses da Região Tocantina e de todo o estado do Maranhão.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:13

SINFRA fecha2013 com 60% do Maranhão Novo asfaltado. A meta é pavimentar todo o bairro

A Prefeitura de Imperatriz iniciou ontem apavimentação de dois quilômetros da Rua Dom Cesário e do trecho que faltava daRua Goiás, no Bairro Maranhão Novo. A previsão é fechar 2013 com 60% do bairropavimentado. De acordo com o Secretário Municipal de Infraestrutura (SINFRA),Roberto Alencar, a meta é asfaltar todas as ruas do Maranhão Novo a exemplo do BairroNova Imperatriz.

Antes do asfalto,ambos os trechos, da Rua Dom Cesário e da Rua Goiás, foram beneficiados comdrenagem profunda. O percurso da Dom Cesário, antes intrafegável e quasetotalmente obstruído pelo esgoto e o mato acumulado há anos,  vai interligar a BR 010 ao centro da cidade, ofertandomais uma opção de tráfego à população.
“Além da drenagem profunda e do asfalto, todo o trecho receberádrenagem superficial com o meio fio e a sarjeta e sinalização”, observa otitular da SINFRA.

            Na manhã de ontem oprefeito Sebastião Madeira acompanhou o andamento da obra no local e demonstrousatisfação com a qualidade do serviço. “Uma das maiores preocupações de umgestor é a qualidade do trabalho prestado à comunidade. No caso dainfraestrutura, para pavimentar trechos complicados como esse, que sofrem comalagamentos, ou com o escoamento de riachos é mais complicado. Por isso, antesde asfaltar, estamos realizando a drenagem profunda desses locais”, explica oprefeito ao enfatizar que mais um problema de décadas está sendo resolvido emImperatriz:
“O Maranhão Novo antes era considerado oburaco negro da cidade. e agora depois de mais de trinta anos de espera ganhanova forma”.

Visitas – Após vistoriar o asfaltamento do MaranhãoNovo, o prefeito acompanhou também a drenagem em execução na Rua Amazonas, no Centro.

A maior parte da obra realizada com recursos do Tesouro Municipal, daRua Bom Futuro entre as ruas Sousa Lima e Amazonas, já foi drenada. A equipe daSinfra trabalha agora na Rua Amazonas no trecho entre a Rua Bom Futuro e aAvenida Dorgival Pinheiro de Sousa.
“Essa drenagem é de extrema importância para toda a cidade, pois vaiacabar com o ‘mar de água’ que se formava nessa área ano após ano durante operíodo chuvoso. Toda a água coletada por essa rede de drenagem vai ser lançadano rio Tocantins”, destaca o prefeito.

Manutenção – Roberto Alencar informou ainda que devido o inicio doperíodo chuvoso os serviços da operação Tapa-buracos estão sendo intensificadosno Centro e levados a todos os bairros da cidade. A meta é manter em condiçõesde trafegabilidade essas vias que servem de corredor para outros bairros deImperatriz. “É um trabalho contínuo com equipes que atuam em três turnos –manhã, tarde e noite – para garantir a manutenção das nossas ruas e avenidas deImperatriz”, concluiu. [ASCOM]


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00

Inaugurações, entrega deobras e Shows marcam o dia de festividades
A Prefeitura de João Lisboa, através do departamento deCultura vai promover, no próximo Domingo, 22 de Dezembro, uma vastaprogramação alusiva às comemorações do 52° ano de emancipação políticada cidade.
O dia de festividades terá a programação que se segue:
·        Inicio à partir das5 horas da manhã com a alvorada, percorrendo vários bairros e o centro dacidade;
·        6 da manhãpasseio ciclístico
·        Logo em seguida teráinicio um dos pontos mais importantes da programação: a inauguração da quadra poliesportiva,do posto de saúde e do Centro Odontológico de João Lisboa. 
·        À tarde, no estádiomunicipal, onde vai ocorrer a final do campeonato de futebol e sorteio devários prêmios.
·        À noite ocorrerá oencerramento da festa de aniversário na praça do Mercado, com o discurso deautoridades e a apresentação de Juliano Reis e Jordão e da Banda Cavalo de Pau.

O município fica a 12 quilômetros deImperatriz. Segundo o Censo de 2010 do IBGE tem uma população estimada em 20 milhabitantes e passa por uma grande evolução principalmente nas áreas deInfraestrutura, Educação e Saúde.

O prefeito de Jairo Madeira, ressaltoua importância deste momento para a cidade: “esta data marca a memóriahistórica da fundação e da independência do município, queiniciou a partir do povoado Gameleira, em 1930, e tevesua emancipação política concretizada a partir do desmembramento dacidade de Imperatriz em 22 de Dezembro de 1961, onde veio a ser chamada de JoãoLisboa emhomenagem ao escritormaranhense, João Francisco Lisboa”, explica o Gestor que convida a toda a comunidade e cidadesvizinhas para participarem de uma das principais festas realizadas nomunicípio.


SidneyRodrigues

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

A deputada estadual Valéria Macedo (PDT) participou na tarde de segunda-feira (16), no auditório Fernando Falcão da Assembleia Legislativa, do XVI Encontro Estadual de Conselheiros e Ex-conselheiros do Maranhão, evento promovido pela Associação Estadual dos Conselheiros Tutelares do Maranhão (ACECTMA) e que teve o apoio da deputada pedetista, Prefeitura de São Luís, entre outros parceiros.

O encontro, que terminou nesta quarta-feira (18), acontece a cada dois anos e teve entre outros objetivos discutir os 22 anos de implantação dos conselhos tutelares no Estado, a implementação dos conselhos tutelares no Brasil e a influência das drogas na vida de adolescentes e crianças.


Na oportunidade foi feita uma avaliação do atendimento oferecido pelos conselhos tutelares no Estado e debatida a efetivação de políticas públicas para a infância e a defesa de interesses dos conselheiros. Ao final do evento foi eleita a coordenação que estará à frente da ACECT nos próximos dois anos.

Ao fazer uso da palavra, a deputada Valéria disse que a categoria dos Conselheiros Tutelares tem um papel importante para a sociedade brasileira, na defesa das crianças e adolescentes, no que por força dessa missão devem ser mais reconhecidos pelo poder público e na oportunidade se colocou à disposição da classe para ajudar na busca de seus direitos.

A deputada Valéria Macedo é autora de projeto de lei que propôs prorrogar os mandatos dos conselheiros tutelares empossados em 2010, 2011 e 2012 em todo o território maranhense, até a posse dos que fossem escolhidos no primeiro processo unificado já que já está marcado para 4 de outubro de 2015.

O projeto, que foi aprovado por unanimidade na AL, mas vetado pela governadora Roseana Sarney, objetivava suprir uma omissão da Lei Federal n.º 12.696, de 25 de julho de 2012, que alterou de três para quatro anos os mandatos dos conselheiros tutelares e que unificou o processo de escolha para os referidos cargos em todo território nacional.

“Infelizmente a governadora vetou esse projeto, mas estamos lá na Assembleia à disposição dos Conselheiros para outras lutas em prol de melhorias para essa categoria, tão importante para a vida da nação brasileira. Contem sempre comigo!”, concluiu Valéria, chamando a atenção para um problema que assola os conselhos tutelares, que é o da falta de estrutura dos Conselhos, sendo bastante aplaudida pelos conselheiros e demais presentes.

Além da deputada Valéria Macedo, conselheiros e ex-conselheiros, também estavam presentes no evento o coordenador institucional da ACECT, Carlos Sérgio, a presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA), Maria Ribeiro, o prefeito de Paço do Lumiar, Josemar Sobreiro, e outros representantes do poder público e sociedade civil organizada. 

O Maranhão tem 215 municípios com conselhos tutelares, dos quais sete estão em São Luís.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:44

DIMMI AMORA
DE BRASÍLIA

A Justiça Federal determinou nesta terça-feira (17) a paralisação das obras da Usina de Belo Monte, em Altamira (PA). A decisão, tomada pela manhã, ainda não foi publicada e só terá valor a partir da comunicação à empresa responsável pela obra. Cabe recurso.

A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, julgava recurso do Ministério Público Federal contra decisão da 9ª Vara da Seção Judiciária do Pará de maio deste ano que validou a licença ambiental concedida pelo Ibama para as obras da usina.
Na Ação Civil Pública, os procuradores tentavam anular a licença alegando que condicionantes para que ela fosse liberada não foram cumpridas.

O desembargador Souza Prudente, relator do processo na 5ª Turma do TRF-1, acatou o recurso do Ministério Público. Ele suspendeu a licença e estabeleceu ainda que o BNDES não repasse recursos para a obra. Em caso de não cumprimento, a multa diária é de R$ 500 mil. O relator foi acompanhado pelos outros dois integrantes da turma.
Em outubro, o mesmo desembargador já havia dado uma liminar nessa mesma ação suspendendo a obra. A liminar foi cassada logo depois pelo governo, e os trabalhos prosseguem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Mudança de rota

por Holden, em 18.12.13
DORA KRAMER - O Estado de S.Paulo
A presidente Dilma Rousseff não tem boas relações com o capital privado, seja da indústria, da agricultura ou do setor financeiro, certo? A insatisfação é cada vez mais explícita e preocupa os arquitetos de sua campanha à reeleição.
Tanto que o ex-presidente Lula da Silva aconselhou a sucessora a ser mais amável na fala, nos gestos e nas decisões relativas ao empresariado. Dilma tentou um movimento aqui, outro ali, mas o ambiente continua arisco.
Nesse espaço, os dois prováveis oponentes, Aécio Neves e Eduardo Campos, têm trabalhado com afinco e sem trégua. Rara a semana em que não há notícia de uma reunião do senador de Minas Gerais e do governador de Pernambuco com um grupo de empresários ou investidores.
Ainda que de maneira discreta, ambos têm colhido senão adesões entusiasmadas, inequívocos sinais de simpatia. Aproximam-se de um grupo do qual Dilma se distanciou. Isso tudo é fato.
Agora, uma suposição: caso sejam consolidados os bons humores de um lado (da oposição) e os maus de outro (do governo) nesse período que antecede o início oficial das campanhas, é de se imaginar que a disposição das empresas para ajudar financeiramente este ou aquele candidato seja influenciada pelos fatores de confiança, simpatia e identificação programática.
As empresas em geral dividem suas doações entre as várias forças, mas tendem a contribuir com aquelas que lhes pareçam em melhores condições de retribuir a ajuda.
E aqui não falamos - ou melhor, não entraremos no mérito - das chamadas "relações perniciosas" para não criminalizar desde já um sistema por ora legal nem misturar financiamento contabilizado com uso de caixa dois.
Ora, se o empresariado está insatisfeito com o modo Dilma Rousseff de governar e vier a se convencer de que Aécio ou Campos podem representar alternativas mais condizentes na perspectiva deles, é de se imaginar - mais, de se acreditar que os candidatos a oponentes estejam investindo nisso - que conseguirão arrecadar bom dinheiro com esse pessoal.
Isso não interessa ao PT, bastante satisfeito que está na proibição de doações por pessoas jurídicas. Claro, o partido tem posição favorável ao financiamento público e aqui estaria aberta uma porta para se tentar chegar lá.
Mas, ao mesmo tempo, se proibido o financiamento empresarial valendo já para 2014 - o que é factível, pois a discussão no Supremo Tribunal Federal não se concentra na legislação eleitoral que exige anterioridade de um ano para entrar em vigor -, os candidatos de oposição ficariam desprovidos dessa fonte de recursos.
O baque também atingiria a campanha do PT, é verdade, o partido tem sido o mais beneficiado pelos donativos. Em contrapartida, está no poder e tem muito mais condições de mobilizar pessoas físicas para doar.
Aliás, pessoas nem tão físicas assim. Funcionários terceirizados da Petrobrás, por exemplo. Podem ser convocados pelo partido a dar um dinheiro cada um, coisa pouca, mas que somado ao volume de gente com interesse em que o PT continue sendo governo para não perder o lugar, vira muita coisa.
Esse dinheiro vem do Estado. Bem como viriam do Estado recursos doados por pessoas físicas ocupantes de cargos de confiança, cuja boa vontade em contribuir seria motivada pelo mesmo sentido de permanência.
E os filiados a sindicatos e entidades que recebem substanciosas verbas governamentais? E por que não pensar no público de 12 milhões beneficiados pelo programa Bolsa Família devidamente instruídos a separar uns R$ 20 ou R$ 30 para não correrem o risco de vir a perder o benefício se eleito alguém da oposição?
São meras hipóteses. Mas demonstram que o fim das doações corporativas por si só não asseguram o equilíbrio de condições aludido pelos defensores da proibição.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:08

João Bosco/ Estadão
O lançamento dos princípios que nortearão a campanha do PSDB no mesmo dia em que o ex-governador José Serra abre caminho à consolidação da candidatura do senador Aécio Neves (MG), são dois fatos importantes não só pela perspectiva de unidade que projetam, mas também por queimar etapas no processo de afirmação do partido como principal concorrente ao segundo turno contra a candidatura oficial da presidente Dilma Rousseff.
Por mais que estivesse acertado com Serra o apoio ao senador mineiro para março, sua antecipação se reveste de duplo efeito – o de ganhar tempo, fator decisivo na corrida sucessória, considerado o primeiro trimestre curto de 2014, e o de eliminar um foco de tensão que perduraria por mais três meses, restringindo a liberdade de movimentos daquele que já se sabe o candidato ungido pela maioria partidária.
Aécio ocupa o espaço oposicionista na sucessão abrindo uma dianteira sobre seu rival de primeiro turno, o socialista Eduardo Campos, que permanece no estágio das negociações internas e em fóruns fechados, estrategicamente importantes, mas sem visibilidade pública. Seguirá Aécio em algum momento, mas por ora ainda opera no círculo das alianças e dos ajustes com a Rede, de Marina Silva.
Projeta também o desenho do que se constitui o segundo desafio de sua candidatura – a unidade São Paulo/Minas, a exigir mais que a pacificação com Serra. Esta é o ponto de partida para a busca da conciliação de interesses regionais em São Paulo, que envolvem também as alianças do PSB com o governador GeraldoAlckmin, construídas na eleição de 2010 e que abrange centenas de candidaturas federais, estaduais e municipais.
A iniciativa de Serra de antecipar seu apoio não ocorre apenas pela pressão interna, mas também pela conclusão de que alcançou o que parece ter sido seu objetivo desde o início: resgatar o patrimônio político afetado pela derrota para a prefeitura, cujo impacto pareceu, à época, determinar sua aposentadoria.
O empenho em manter acesa a possibilidade de disputar a condição de candidato com Aécio, inseriu Serra nas pesquisas que comprovaram seu amplo prestígio eleitoral, em que pese a alta rejeição que o acompanha. Credencia-se ao Senado ou à Câmara ambientes que, indistintamente, lhe garantem uma liderança política nacional e, principalmente, dentro de seu partido.
Nos cálculos de Aécio, desde sempre, o desafio mais importante é uma frente de votação significativa nos estados de Minas e São Paulo, embora isso não signifique negligenciar o restante. Mas uma boa margem sobre seus adversários nesses dois estados pode ser capital eleitoral decisivo se somado a um desempenho razoável nas regiões Norte e Nordeste.
Segundo seu raciocínio, a enorme vantagem aberta por Dilma, em 2010, no Norte e Nordeste, não se repetirá em 2014, não só pela mudança de cenários no primeira, como pela presença de Eduardo Campos no segundo. Nos dois casos, a oposição se fortaleceu e tornou mais difícil a reprodução, pela candidata à reeleição, dos cenários anteriores.
Esses movimentos reduzem as desvantagens em relação a Dilma Rousseff, mas não revertem a frente da presidente na corrida sucessória e nem afeta o poder da candidatura oficial, sentada no cargo que lhe dá mídia espontânea e desproporcional em relação aos demais.
No entanto, é exatamente a superexposição a que os condutores da candidatura oficial submeteram a presidente, que pode exibir seus limites. Com toda a overdose midiática produzida, a recuperação de Dilma parece ter como teto não mais que 45%, índice ainda de risco para quem tenta a reeleição e se beneficia da estrutura de poder para tal.
Não há, à frente, previsões de fatos novos que autorizem otimismo ao governo e que, por extensão, projetem novo crescimento significativo da presidente. Ao contrário, a luta do Planalto, já de algum tempo, é para retardar os efeitos da crise de confiança na economia sobre o bolso do eleitor, o que desidrataria a candidatura.
Teoricamente, Dilma só tem como expectativa de crescimento o erro dos adversários, que não conseguiram ocupar o espaço de mudança registrado nas pesquisas – falha que Aécio tenta reparar a partir de agora. Não se trata de tirar os méritos dos estrategistas presidenciais, mas de descortinar os limites aos quais estão condicionados, ditados principalmente pela pouca ou nenhuma expectativa de melhora da economia

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:04

Finalizadas exigências legais, SEMUS esclarece queos ajustes para funcionamento dos equipamentos estão sendo concluídos

Após os ajustes técnicos, o atendimento na unidade móvel de prevenção etratamento do câncer será oficialmente iniciado nesta terça-feira (17) emImperatriz. De acordo com a coordenadora da Unidade Móvel Oncológica, VileniceBatista, o motivo da demora no atendimento foi ocasionado pela necessidade deligação de energia elétrica específica para o funcionamento dos aparelhos daunidade, que está sendo finalizada. “Trata-se de uma ligação trifásica, que jáfoi solicitada e está sendo efetuada pela empresa responsável”.
A primeiraregião de Imperatriz beneficiada com o atendimento da nova unidade móvel é agrande Vila Nova. O veiculo é equipadopara a realização de exames preventivos de quatro tipos de câncer: colo doútero, mama, próstata e pele.

Os AgentesComunitários de Saúde (ACS) já fizeram cadastro dos moradores do bairro eregiões circunvizinhas, para que eles possam ser atendidos. O ‘ônibus-hospital’já se encontra em frente ao Centro de Saúde Clésio Fonseca, por tempoindeterminado até atender à demanda cadastrada com realização de exames de PapaNicolau (PCCU), Próstata (PSA) e biopsia de pele.

A coordenadoraressalta que na manhã de ontem já foram realizados os primeiros atendimentos. “Jáatendemos aqui algumas pessoas, mas para melhorar a qualidade desse atendimentoainda estamos dependendo da ligação de energia, que já está sendo providenciadapela Companhia Energética, de acordo com solicitação feita e que será concluídaaté o final do dia”, informa Vilenice, ressaltando que colocar o ônibus emfuncionamento requer uma logística bem complexa, tendo em vista que é necessáriaalém de materiais, uma ligação provisória trifásica.


Exigências legais para inicio do atendimento - ConceiçãoMadeira, secretária municipal de saúde, explicou à reportagem que o tempo deespera para iniciar o atendimento, também se deve pela exigência do contrato quedeveria ser assinado pelo Hospital do Câncer de Barretos. Trata-se de umprotocolo exigido pela Fundação Pio XII (Hospital do Câncer de Barretos), que regulamentaa realização dos exames de mamografias a serem realizados no ônibus que vaipercorrer todos os bairros da cidade, incluindo zona urbana e zona rural.

“Para iniciar ostrabalhos dependemos da autorização do Ministério da Saúde e da Fundação PioXII, pois os custos destes serviços serão pagos pelo MS via fundação. Não poderíamosiniciar sem esta autorização, e sem os sistemas devidamente instalados aqui,para que as mamografias possam ser cadastradas e enviadas ao Hospital – que vaianalisar, e emitir os laudos”, afirma a secretária. Ela explicou também que eranecessário aguardar os computadores que foram formatados para instalar o programacom os protocolos dos exames.

Aunidade móvel – O ônibus modificado que custou R$ 2,3 milhões foifinanciado da Fundação Vale e equipado pelo Hospital de Câncer de Barretos(Fundação PIO XII Barretos), que também capacitou os profissionais que irãotrabalhar e manusear os equipamentos. O veículo de dois andares foi divididocontando em sala de espera com TV; outra de mamografia (com mamógrafo de últimageração); uma de coleta de colpo citologia, para realização do Papa Nicolau ehá ainda a sala de exame de pele e um centro cirúrgico.
Nocaso do câncer de pele será possível fazer o exame preventivo, o tratamento eaté a cirurgia, na própria unidade móvel. Hoje, 90% dos casos relacionados aocâncer de pele já são resolvidos nesse tipo serviço. A capacidade desta unidadeé de realizar 330 exames por dia.




Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:12

A ação faz parte do projeto Imperial Social que em parceria com a VBL proporcionou as crianças um dia de lazer no shopping
Cerca de 210 crianças da escola Jardim Canossa participaram de ação social realizada na praça de eventos do Imperial Shopping. Durante dois dias, os pequeninos andaram de trenzinho e registraram momentos ao lado do Papai Noel. Em parceria com a VBL, que transportou as crianças gratuitamente, a iniciativa faz parte do projeto Imperial Social que tem por objetivo aproximar-se dos movimentos da sociedade para promover o bem-estar e a cidadania.

“Dentro da educação infantil essa ação é muito importante, pois, nesse período as crianças vivem de sonhos, cores e fantasias. Muitas delas têm uma realidade diferente e não tem acesso a um espaço como esse que é shopping. Esse ambiente vai abrir um pensamento de um futuro sem tamanho”, avalia Sandra Noleto, gestora da escola.

No local, a movimentação foi intensa. Muita empolgação e sorrisos diante da possibilidade de explorar os brinquedos e as cores.Além das brincadeiras, as crianças também receberam presentes que a instituição conseguiu por meio de doação dos pais e da comunidade.
Para a gerente de marketing do Imperial Shopping, Tânia Lemos é gratificante poder proporcionar momentos como esse. “É uma satisfação imensa vê a alegria das crianças ao verem o Papai Noel. Para muitos, essa é uma oportunidade única e isso nós enche de honra. Desde o início, começamos com esse projeto que visa ajudar a comunidade e isso só nos engrandece, afinal ajudar o próximo é um valor que não tem preço”.

Instituição - A Associação Madalena de Canossa tem sua existência desde 1959, portanto, há 50 anos vem desenvolvendo trabalhos de assistência social e educacional. Em Imperatriz, a instituição existe há 30 anos. O projeto trabalhava inicialmente com a desnutrição infantil e atualmente por meio da escola Jardim Canossa desenvolve trabalhos na área educacional. Localizada no Parque Santa Lúcia, a instituição vive de doações e parcerias.

Sidney Rodrigues

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00

Iniciativa reconhece as melhores reportagens com foco nos pequenos negócios veiculadas em 2013
 Estão abertas as inscrições para a sexta edição do Prêmio Sebrae de Jornalismo, que vai premiar as melhores matérias veiculadas em 2013 com temática voltada para os pequenos negócios.
 Serão reconhecidos trabalhos de jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas de todo o país, além de um prêmio especial para prestigiar um profissional da imprensa brasileira com o título de Jornalista Parceiro do Empreendedor.
Nesta edição, a estrutura do prêmio foi atualizada, o número de categorias ampliado e reajustado o valor das premiações. Estão na disputa matérias que abordam os seguintes temas: Fomento ao Empreendedorismo, Cooperação, Encadeamento Produtivo, Gestão, Inovação e Competitividade, Inclusão Produtiva, Sustentabilidade, Políticas públicas e Legislação.
Cada profissional poderá concorrer com, no máximo, três trabalhos por categoria. No entanto, não há limite de inscrições por veículo.
A inscrição e o upload dos trabalhos são feitos no site www.premiosebraedejornalismo.com.br. Nas categorias de Telejornalismo e Reportagem Cinematográfica, as cópias das matérias devem ser enviadas via Correio para a sede da revista IMPRENSA – consulte o regulamento no site para mais informações.
São seis categorias e duas premiações especiais para reconhecer as reportagens publicadas no período de 1º de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2013.
Categorias principais - R$ 15 mil
• Prêmio Sebrae de Jornalismo Impresso

• Prêmio Sebrae de Radiojornalismo

• Prêmio Sebrae de Telejornalismo

• Prêmio Sebrae de Webjornalismo

• Prêmio Sebrae de Fotojornalismo

• Prêmio Sebrae de Reportagem Cinematográfica

 Prêmios especiais - R$ 15 mil
• Grande Prêmio Sebrae de Jornalismo – para a melhor matéria entre todas as premiadas nas seis categorias. Prêmio de R$ 15 mil será acumulado com o prêmio recebido como vencedor de sua categoria.
 • Jornalista Parceiro do Empreendedor – para o profissional que em 2013 se destacou na cobertura de assuntos de interesse e orientação aos micro e pequenos empreendedores no país. Para esta categoria não é possível se inscrever. A escolha do Jornalista Parceiro do Empreendedor será feita a partir das indicações feitas pelo Sebrae Nacional e dos estados.
 Acompanhe o calendário do Prêmio Sebrae de Jornalismo:
De 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2013 – Período de veiculação das matérias que concorrem ao prêmio
De 13 de novembro de 2013 a 13 de fevereiro de 2014 – Inscrições nas etapas estaduais, indicação de matérias e indicações de Jornalista Parceiro do Empreendedor
Maio de 2014 – Divulgação dos vencedores estaduais
Junho de 2014 – Divulgação dos finalistas da categoria “Jornalista Parceiro do Empreendedor”
Agosto de 2014 – Evento de premiação nacional

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:00

Manifestantes fazem protesto durante entrega do Prêmio Direitos Humanos 2013 e vaiam a presidente Dilma RoussefFoto: André Coelho / O Globo
Manifestantes fazem protesto durante entrega do Prêmio Direitos Humanos 2013 e vaiam a presidente Dilma RoussefANDRÉ COELHO / O GLOBO

BRASÍLIA - Para uma plateia dividida entre aplausos e vaias, a presidente Dilma Rousseff lembrou nesta quinta-feira que foi torturada e que só quem já passou por isso sabe o desrespeito à humanidade que esse tipo de violência significa. Em seu discurso durante a entrega do Prêmio Direitos Humanos 2013, Dilma comemorou a regulamentação da lei que cria o Sistema Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. Em palestra após a entrega dos prêmios, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da silva também foi vaiado, principalmente por representantes de entidades de defesa dos índios e por indígenas.

- Eu, que experimentei a tortura, sei o que ela representa de desrespeito à mais elementar condição de humanidade de uma pessoa. Estamos determinados a mudar esse quadro - disse a presidente no palco do Fórum Mundial de Direitos Humanos.

Enquanto alguns aplaudiam e até gritavam o nome de Dilma, um grupo de manifestantes veementes vaiavam a presidente durante sua fala. Alheia à crítica de alguns da plateia, ela fez um balanço das principais ações de seu governo na área de direitos humanos. Dilma citou o programa Brasil sem Miséria, no qual o plano de distribuição de renda Bolsa Família está incluído; o Viver sem Limites, que prevê ações para melhorar a vida dos deficientes, e o Mais Médicos, que tem trazido médicos estrangeiros para ampliar a cobertura do serviço de saúde para locais mais distantes e carentes do Brasil.

Segundo a presidente, a defesa dos direitos humanos é uma diretriz que seu governo tem perseguido “com entusiasmo”.

Lula fez uma defesa da democracia e disse que graças a esse sistema de governo um metalúrgico foi eleitos presidente do Brasil, um índio chegou a presidente da Bolívia, um negro preside os Estados Unidos e uma ex-guerrilheira torturada é presidente do Brasil.
Enquanto discursava, alguns manifestantes de grupos indígenas gritavam sem parar “ladrão”, “traidor”, e “a culpa é sua”. De acordo com Paulo Apurinã, o governo do PT não está dando atenção aos problemas indígenas. Segundo Apurinã, havia um acordo para que Dilma reconhecesse, hoje, o genocídio dos índios, que ela não cumpriu, o que azedou o clima.
- O governo do PT mata mais índio que o governo das ditaduras militares. A Polícia Federal virou uma polícia política.

Juliana Graciolli, advogada que disse representar grupos indígenas e de quilombolas, disse que os povos indígenas estão morrendo por falta de demarcação das terras:
- Lula traiu os índios porque colocou a Dilma e ela não faz nada. Dilma só promete e não cumpre e apoia a bancada ruralista – disse Juliana.

Lula, porém, saiu em defesa de Dilma.

- Faltam fazer muitas coisas, mas eu sei que a Dilma vai fazer. Se ela não fizer tudo, vamos fazer mais para frente – disse.
Procurando demonstrar empatia com as causas das reivindicações, Lula apelou para o tempo em que passou necessidades.

- Querem me perguntar como é alguém sem comer? Perguntem pra mim. Querem falar como é beber água não potável? Falem comigo. É por isso que resolvemos priorizar os pobres no país. Nós vamos fazer muito mais. Quem quiser torcer contra, que torça. Eu conheço a Dilma há dez anos. A mulher que passou pelo o que ela passou, e faz o que ela faz, com o bom senso que ela tem, podem ficar certos que esse país tem de ter orgulho da presidente que elegeu - disse.

O globo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:00

A filha de José Dirceu atacando o STF, tendo ao seu lado o mensaleiro condenado João Paulo Cunha.
 
O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, virou alvo de ataques ontem durante ato de desagravo do PT aos presos do mensalão. Parlamentares e parentes dos réus se uniram para criticar o ministro, que foi relator do julgamento do maior escândalo do governo Lula.
 
Os ataques foram iniciados por Joana Saragoça, 24, filha do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil). Ela mirou o STF e foi muito aplaudida ao defender o pai. "O que se viu foi uma série de violações conduzidas pelo ministro Joaquim Barbosa para manter de pé a tese do mensalão, uma história mal contada e sem provas", disse ela. "Meu pai está preso injustamente por ter lutado para fazer do Brasil um país melhor. Todos sabemos que o julgamento foi marcado pela exceção", acrescentou.
 
O deputado João Paulo Cunha (PT-SP), que aguarda em liberdade o julgamento de seu último recurso, desafiou Barbosa. Ele voltou a contestar a condenação pela prática de peculato (desvio de dinheiro público por servidor). "O que eu tenho pedido é o seguinte: Diga, ministro Joaquim Barbosa, o que foi que eu desviei. Ele não diz. Sabe por que ele não diz? Porque não tem", disse Cunha.
 
Homenageado no debate por sua defesa dos condenados, o jornalista Raimundo Pereira, 78, também atacou Barbosa. Ele estendeu os ataques a outro ministro do STF, Gilmar Mendes, a quem acusou de dizer "mentiras deslavadas" sobre os réus. "Estou dizendo isso porque sou mais velho do que ele. Ele pode me chamar para as vias de fato, se quiser", afirmou. O presidente do PT, Rui Falcão, assistiu aos ataques ao STF sem se manifestar.
 
INCÔMODO
 
Petistas também expressaram incômodo com a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, que evitaram defender os réus na abertura do encontro, anteontem. O Planalto trabalhou nos bastidores para evitar que a presidente fosse vinculada a atos de desagravo do partido, que tem necessidade de dar resposta ao público interno.
 
Irmão de José Genoino, o líder do PT na Câmara, José Guimarães (CE), afirmou que todo o partido precisa sair em defesa dos presos na campanha eleitoral de 2014. "Não tem como separar o PT desses companheiros", disse. "Se eu disputar outro cargo, vou continuar a defender os nossos companheiros. Eu não me envergonho de ser irmão do Genoino." O deputado também incitou os militantes a sair com a estrela do PT na lapela e a defender os condenados. "Ninguém pode se intimidar nem levar desaforo para casa", disse. "Não tem que ficar chorando pelos cantos, não. Temos que ir para as ruas e desfraldar a bandeira do PT. Estamos doídos, mas não estamos mortos." Ele acrescentou que os parentes dos réus só encontraram forças "para suportar estes últimos dias de 2013" graças ao apoio de militantes e movimentos sociais. (Folha de São Paulo)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:14

Desfeita...

por Holden, em 14.12.13
O professor Expedito Barroso, professor da universidade Estadual e ex-integrante do fracassadogoverno petista em Imperatriz foi indicado pelo também professor e vereador Carlos Hermes para receber a medalha do Mérito Legislativo, que ocorre nesta quinta-feira (12), mas não compareceu.

Segundo o vereador, Expedido será homenageado em um evento, próprio, a ser realizado em data e local ainda não determinado, e a desculpafoi, um outro evento que estaria ocorrendo, coincidentemente,  no mesmo dia.


- Coisas de ex-petistas, vai entender...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:51

Hemerson Pinto

O anúncio foi divulgado na manhã de ontem pela empresa de transporte público Viação Branca do Leste, responsável pela implantação da bilhetagem eletrônica em Imperatriz. Após a coletiva de imprensa, os jornalistas tiveram a oportunidade de conhecer como funciona o novo sistema de pagamento de passagens que substituirá o tradicional vale transporte.
Com o cartão do Sistema Imperatriz de Mobilidade (SIM), o passageiro deve perder menos tempo na roleta, uma das justificativas da direção da empresa. Outro ponto positivo, segundo a VBL, é a segurança, pois o caixa dos ônibus passou a acumular quantia inferior em dinheiro, e o passageiro terá menos preocupação em transportar valores para pagar a passagem. Para quem utiliza vale transporte, um dos fatores positivos é a comodidade. Ao invés de transportar os tickets em bolsas ou carteiras, um único cartão é o suficiente.
Recarregável, o cartão SIM substitui o dinheiro, o passe escolar e o vale transporte. O cartão poderá ser adquirido em uma loja que a empresa vai inaugurar no primeiro piso do Tocantins Shopping, Centro. O início do funcionamento está previsto para o dia 20 de dezembro. O passageiro deverá comparecer à loja, comprar o cartão com os créditos, que terá valor mínimo de R$ 23 (vinte e três reais). Cada vez que entrar no ônibus e colocar o cartão na máquina (validador), o valor correspondente ao preço da passagem será descontado do cartão, diminuindo o crédito.

Os cartões são divididos em quatro modalidades: o Cartão Cidadão, para toda a população; o Cartão Escolar, para os estudantes; o Cartão Servidor; para funcionários públicos municipais; e o Cartão Vale Transporte, para quem trabalha em empresa privada. O diretor geral da empresa, Denis Policarpo, explicou que o sistema vai eliminar o uso do vale transporte como ‘moeda de valor’, na compra ou troca por produtos. Para deficientes físicos e idosos não haverá alteração no acesso aos ônibus da empresa. Quem não aderi ao SIM poderá pagar a passagem com dinheiro.

“O objetivo é melhorar o transporte para o usuário, dar mais segurança pra ele e para a empresa. A partir do dia 20, os ônibus vão circular com a catraca eletrônica e em meados de janeiro já estará funcionando”, explica Denis Policarpo.

O diretor também falou sobre corredores exclusivos para ônibus que deverá ser criado pelo município, após aprovação do projeto do vereador Esmerahdson de Pinho. “A Avenida Dorgival Pinheiro de Sousa, a Rua Coronel Manoel Bandeira e a Rua Luís Domingues vão ganhar esses corredores, benefício para a população que utiliza o transporte público, pois vai agilizar o serviço e melhorar o trânsito de Imperatriz”, declara Denis.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:48

Pág. 1/2





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D